São Bento do Sul, 12 de dezembro de 2018

Sobre Cezar Miranda

Desde muito cedo comecei a escrever algumas coisas e o público alvo era, obviamente, minha família. Inicialmente, algumas palavras sem qualquer nexo. Posteriormente, um arremedo de algo que ousei chamar de livro. Longe de ser isto.

Os anos foram passando e a informática era a grande novidade. Não tive dúvidas. Lá fui eu entender aquelas máquinas. Primeiro, programador de computadores com aquelas linguagens específicas. Coisa pra louco, era o que a maioria imaginava. O passo seguinte foi me tornar analista de sistemas. Dediquei-me a pensar em soluções para empresas. Mas, o caminho a ser seguido definitivamente não era este.

Escrever. Este sim era o caminho. E continua sendo.

Anos se passaram. Oportunidades foram aparecendo. Umas jogadas fora pela imaturidade. Outras desperdiçadas e sabe-se lá por que. Arrepender-se, jamais. As aportunidades aproveitadas valeram. Cresce-se como profissional e como pessoa. Entende-se o cotidiano. Lamentam-se perdas. Resigna-se com ?furos? não dados. Constrói-se o nome.

O longo caminho do aprendizado só foi encurtado graças a pessoas que o cruzaram ? ou fui eu quem cruzou o caminho deles? A ordem dos fatores não altera o produto, diz o dito popular e sendo assim, o produto final foi que aprendi. Pelos menos é o que eu acho.

Dos jornais, uma passagem por programa de televisão e portal de Internet. De volta ao jornal.

Impaciente. Se alguém assim me definir, não estará errado. O avanço da idade não me impede de entender a modernização. A cada novo conceito, o querer saber o que ele representa, especialmente em termos de comunicação de massa.

Era hora de decidir e decidi. Unir o aprendizado, os entendimentos e todo o restante em torno de um portal de notícias. Essa é a modernidade, e é pra isto e por isto que criei o cezarmiranda.com.

O porquê do meu próprio nome e não uma marca qualquer? Não saberia responder com exatidão. O fato é que gostei da idéia da notícia na nossa região, através da Internet, ter nome e endereço.

Todos os direitos reservados Cezar Miranda